quinta-feira, 16 de março de 2017

A Comunidade se encontra para mais um Samba no Largo do Rosário

No dia 25 de março, último sábado do mês, a partir das 14:00, a Comunidade Roda de Samba do Largo do Rosário da Penha convida o compositor e sambista paulista Isaac de Santa Rita Filho, mais conhecido como Negro Bira.
Militante do samba, Negro Bira tem sua trajetória marcada pela fundação do grupo “Pulsar do Samba” na zona Sul em 1987, além das várias participações em Festivais e Comunidades do Samba pela cidade, como Samba da Vela.
Além do convidado teremos o já tradicional time de músicos da Roda de Samba do Rosário interpretando músicas inéditas inscritas para o projeto “Samba do Mês” com o tema “Mulheres Negras” e abrindo o dia com as Pastoras do Rosário, grupo formado por mulheres da Comissão do Rosário dos Homens Pretos da Penha.
Com o objetivo de dinamizar o Largo do Rosário da Penha, importante espaço público de cultura e lazer, a atividade contará com expositoras de produtos de estética afro-brasileira e intervenções do DJ Bibi e Carlão Guerreiro da Leste.
*Em caso de chuva o evento será cancelado

Atividade: Roda de Samba do Largo do Rosário
Dia 25/03/2017, das 14h às 18h
Local Largo do Rosário, s/n, em frente ao Centro Cultural da Penha
Email: comunidadesambadorosario@gmail.com / largodorosario.penha@gmail.com
Telefone: 11 2306-3369
Facebook: Comunidade de Samba Largo do Rosário da Penha de França
www.largodorosario.blogspot.com



segunda-feira, 13 de março de 2017

Converter, Lavar e Acolher


Domingo, 5 de março de 2017, manhã ensolarada. As portas da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos se abriram para mais uma celebração, a primeira do tempo da Quaresma, nesse dia, terminada a liturgia, os irmãos e irmãs de religiões de matriz africana chegaram em cortejo para lavar as escadarias da Igreja.

Wilma, Maria Aparecida e Ana

O que a lavagem das escadarias nos fala da Quaresma? Qual é o significado de fazê-la nesse tempo tão especial para a Igreja que é o de preparação para a Páscoa de Ressurreição de Jesus Cristo?
Na mensagem quaresmal de 2017, o Papa Francisco aponta a quaresma como um novo começo, época propicia para a conversão que significa voltar-se a Deus de todo o coração, através da reconciliação, arrependimento e abertura para o outro e a outra.
Mulheres, Homens, grupos e comunidades são convidados a assumir uma nova vida e enxergar o próximo como um dom.

Tia Lara de Jesus

A lavagem das escadarias da Igreja do Rosário dos Homens Pretos, acontece pelo 2º ano, inspirada na que ocorre nas escadarias da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim em Salvador desde 1745. Essa prática teve origem na época da escravidão, quando os senhores portugueses faziam os seus escravos lavar, limpar e enfeitar a Igreja por dentro e por fora, juntos com os outros fiéis para a festa do Bonfim.
Os negros escravizados eram obrigados a aderir ao catolicismo e para manter as suas tradições religiosas, relacionavam os santos católicos com as divindades que cultuavam em África, ao preparar a Igreja eles louvavam a Oxalá, orixá que associavam ao Nosso Senhor do Bonfim.


Com o decorrer das décadas a lavagem da igreja começou a reunir multidões e passou a acontecer do lado de fora, realizada por baianas e filhas de santos, transformando-se em uma tradição popular que reúne anualmente cerca de 1 milhão de pessoas, de diferentes origens e religiões.
A lavagem de alguma forma trata da capacidade de caminhar junto com o diverso, respeitando e acolhendo o que ele é e acredita, também simboliza a tentativa de diálogo inter-religioso. Nesse ponto, retomamos a mensagem quaresmal do Papa Francisco, na qual ele escreve que o outro é um dom, “(...) a justa relação com as pessoas consiste em reconhecer, com gratidão o seu valor(...)”. Um dos males dos nossos tempos é o fechamento dos corações para o outro, o não reconhecimento de sua dignidade. Historicamente no Brasil, os negros e negras têm sido esse outro, que tem as suas condições de vida, manifestações culturais e religiosas subjugadas.

Dançarino Cris homenageando Oxalá e Claudia Adão

Acolhemos os nossos irmãos e irmãs de religiões de matriz africana para a lavagem das escadarias como sinal de reconciliação, abertura e conversão. Gesto concreto da atitude que temos que assumir durante a quaresma e também como forma de honrar a memória da antiga irmandade dos homens pretos, que construiu a Igreja do Rosário, marco da memória e resistência negra na cidade de São Paulo.



Ana, Solange, Patricia e Marlei

Reis de Festa do Rosário, Tita Reis e Glória Orlando

Robinson Estevan e Adalberto "Beto"


Mãe Tereza, ao centro e Lourdes Siqueira à esquerda


Camila Oliveira e Carlos Casemiro


Liturgia dos Atabaques e Afoxé Filhos do Cacique

Texto: Cláudia Adão
Crédito das fotos: Patricia Freire e Julio Cesar Marcelino

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Esmeralda Ortiz abre os eventos da Comunidade Roda de Samba do Largo do Rosário de 2017.

Retomando os trabalhos a Comissão do Rosário dos Homens Pretos apresenta mais uma Roda de Samba da Comunidade do Rosário.
E para abrir o ano receberemos uma convidada muito especial: a jornalista, sambista partideira e escritora Esmeralda Ortiz. Esmeralda é uma mulher, preta e guerreira, protagonista de uma história de superação através da música e da escrita, que conta através do seu livro "Esmeralda, porque não dancei", lançado pela editora SENAC em 2000 e pelo recente trabalho musical "Guerreira" lançado em 2015 pelo Selo SESC.
É com essa importante artista que homenageamos na Roda de Samba do Rosário a todas as mulheres batalhadoras por mais espaço de reconhecimento e oportunidades na sociedade.

Roda de Samba do Rosário, dia 28/01/2017, das 14h às 18h
Local: Largo do Rosário, s/n. Penha de França

Atenção ao clima: o evento ocorre em espaço aberto, e em caso de chuva será cancelado!






quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

No aniversário de São Paulo, bairro da Penha ganha livro dedicado à sua história

De autoria do psicólogo José Morelli, com o título: “Penha de França – Expressões do Rosário”, um novo livro está sendo lançado no dia 25 de janeiro de 2017, durante o aniversário de 462 anos da cidade de São Paulo.
O livro contempla informações relacionadas aos primórdios da Penha (1667) e da presença, no bairro, já em 1755, da antiga irmandade dos homens pretos, construtora da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a única que subsiste na cidade de São Paulo edificada em taipa e com essas características. Uma história de luta e resistência de um povo, digna de ser reconhecida e devidamente enaltecida.
Em edição primorosa e contendo 180 páginas entre textos e imagens coloridas ou em branco e preto, o livro revela ao leitor a caminhada histórica percorrida por homens e mulheres, escravizados ou alforriados, inserindo-a no contexto de desenvolvimento do bairro, antes mesmo que este fosse elevado à condição de Freguesia (1796), nos tempos de vigência dessa condição e já no período republicano em que os padres redentoristas administraram a paróquia (1905-1967), chegando até os dias de hoje, com as atividades e festas promovidas. Nas linhas e nas entrelinhas, o leitor poderá fazer sua leitura pessoal, quem sabe encaixando algumas peças do amplo quebra-cabeça de entendimento em que se insere sua própria história pessoal.  

O lançamento ocorrerá no Centro Cultural da Penha, localizado no Largo do Rosário, 20 - Penha, São Paulo – SP, dia 25 de janeiro de 2017 (quarta-feira), às 16h00. 

Para mais informações: 11 2295-0401.

Comunicação:
Tel: 11 99344.0847
clinicajmorelli@gmail.com
http://penhadefrancaexpressoesdorosario.blogspot.com.br/